Tempo x Produtividade x Inspiração

Sobre aprender que não dá para esperar pela inspiração e que pensar em produtividade é mais interessante do que tempo (jornada) de trabalho

Comecei a trabalhar como home office em 2014, num projeto em que eu fazia meu horário, mas também estava disponível 24h. Era temporário e talvez tenha sido justamente por isso que deu certo.

Tão certo que, depois que o projeto acabou, eu vivi um pequeno conflito de não me encaixar nas vagas de emprego que encontrava ou encontrar vagas que me desanimavam completamente  — conhecem esse drama?  — e de ter a sensação de que procurar trabalho em agência não era a coisa certa para mim.

Eu não deixei de tentar, porém. Indo a entrevistas aqui e ali, eu sentia um misto de expectativa e medo: queria e precisava de um emprego, mas seria nesses moldes (de um emprego tradicional)?

Por fim, a mesma agência com a qual eu tinha participado do projeto me chamou para voltar. Era 2015 e, dessa vez, eu tive um horário estipulado para a parte da manhã, de segunda a sexta, além de horários aos fins de semana e feriados. Era ótimo, mas um dia acabou.

E foi quando acabou que eu deixei de ser “só” home office e decidir ser, também, freelancer. Comecei no início de 2017, com algumas dúvidas: como encontrar clientes? quanto cobrar pelo meu trabalho? em quanto tempo eu vou conseguir pagar as contas? quantas horas por dia eu devo trabalhar? É dessa última questão que o post de hoje trata.

thought-catalog-214785
Photo by Thought Catalog on Unsplash

Quando eu me dei conta de que poderia juntar o útil ao agradável e ganhar dinheiro escrevendo para a web, eu contava muito com a inspiração. Era assim que funcionava com os blogs e até quando eu tinha que escrever matérias jornalísticas para o Portal do Torcedor. Às vezes, era preciso apertar um pouquinho, mas dava certo.

A vida de redatora freelancer, porém, me exigiu muito mais, desde o começo. Gradativamente, eu senti a inspiração se esvaindo. E, paralelo a isso, o cansaço aumentava e uma nuvem de frustração começava a se formar: eu passei a gastar cada vez mais tempo com cada job porque apertar um pouquinho já não funcionava mais.

Busquei conselhos me sugeriram estipular um horário de trabalho. Isso pode ser interessante porque ter uma rotina ajuda a manter a gente produtivo:

“Estabeleça horários fixos para começar e terminar os trabalhos. Ser workaholic não é sinônimo de ser produtivo”

Me disseram, também, para não esperar por inspiração e foi nessa hora que eu buguei. Vejam vocês, além de escrever para web — profissionalmente ou não — eu também desenho (por hobby) e simplesmente “não consigo” fazer isso quando não estou inspirada. Num geral, então, criar algo sempre teve relação com estar inspirada.

“Seja constante. E não espere por inspiração – apenas faça”

Dizem que se conselho fosse bom não era de graça, mas eu sabia que tinha que considerar o que me disseram. Afinal, eu procurei opinião de quem é freelancer há mais tempo do que eu.

A solução foi mesmo não deixar de escrever porque eu não estava inspirada e tentar criar uma rotina de trabalho.

Se deu certo? Sim e não. No fim das contas — e esta é a minha verdade por enquanto —, eu entendi que não posso ser refém da inspiração, mas prefiro não limitar meu tempo de trabalho quando ela decide aparecer. Da mesma forma, se o deadline não está batendo à porta e eu não estou nada inspirada, eu deixo para depois.

Isso significa que há dias em que eu vou trabalhar por mais horas do que o “estipulado” porque decidi aproveitar o meu boom criativo. Também posso acabar excedendo esse tempo porque, apesar de ter aprendido a escrever sem estar inspirada, há dias em que acaba sendo bem mais difícil.

Isso também significa que há dias em que eu vou trabalhar por menos horas do que o “estipulado” porque a inspiração apareceu e eu consegui fazer tudo e mais um pouco antes do tempo.

do your best

No fim das contas, quando se trata de tempo x produtividade x inspiração, a solução é sempre fazer o melhor com o que eu tenho em mãos. Convenhamos, essa é a solução sempre!

obs: As aspas foram retiradas deste Guia prático (que realmente funcional) para ter uma rotina mais produtiva

obs2: “Sempre faça o seu melhor. O seu melhor vai mudar de um momento para o outro, vai ser diferente quando você estiver saudável, diferente de quando estiver doente. Sob qualquer circunstância, simplesmente faça o seu melhor e você irá evitar auto julgamento, auto abuso e arrependimento”. Do livro Os quatro compromissos

 

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s