O princípio do “Faça Alguma Coisa” e a produção de conteúdo

Sobre a ideia em “a ação não é apenas consequência da motivação; é também a causa”

*Este post foi inspirado pela leitura do livro A sutil arte de ligar o f_oda-se. Caso você considere isso algum tipo de spoiler, não siga adiante. Mas, cá pra nós, é um livro de “autoajuda” e o que escrevo aqui não vai estragar a narrativa*

Há quem acredite que a produção de conteúdo pautada por regras de SEO e deliberadamente planejada para a conversão se baseia mais na técnica do que na inspiração.

Eu discordo. Talvez porque, antes de encarar a produção de conteúdo dessa forma, eu me apeguei à velha e conhecida ideia da escrita enquanto atividade criativa.

E só para constar, para todos os fins e como “bem de Humanas” que sou, prefiro dizer que realizo um trabalho criativo a dizer que faço algo puramente técnico. Assim combina mais comigo.

Voltando, eu não demorei a entender que, ainda que baseado em criatividade, meu trabalho não pode depender de inspiração.

Mas precisei de quase um ano para me dar conta do porquê a engrenagem da escrita roda mesmo quando eu não pareço preparada para escrever qualquer coisa que preste.

A questão é que — e confirmei essa ideia em minha leitura do mês passado, ainda não finalizada — “a ação não é apenas consequência da motivação; é também a causa”.

É o que explica Mark Manson em A sutil arte de ligar o f_oda-se(um best seller de 2017/2018 que vale mesmo a leitura).

A ideia é que eu e você não precisamos estar emocionalmente inspirados para nos sentirmos motivados e então escrever.

Começar a escrever, mesmo quando a sensação é de que não vai sair nada bom, é o que leva a novas reações emocionais e, consequentemente, nos dá motivação nova para continuar o trabalho.

Em outras palavras, é assim que a roda gira e é dessa ideia que surge o princípio do “Faça Alguma Coisa” apresentado pelo autor.

Eu só fui perceber que isso realmente funciona quando minha rotina de rodar todas as redes sociais e sites de interesse antes de começar os trabalhos parou de ser suficiente para me colocar “no clima certo” para dar início aos jobs do dia.

Vale ter em mente, inclusive, que nem sempre é preciso começar escrevendo logo um conteúdo de trabalho. Um post do seu próprio blog, um texto com ideias que você sequer pretende publicar, uma página no seu caderno pessoal…

Mas, se a única alternativa for mesmo começar os trabalhos, comece. Atualmente, eu jornalista e “bem de Humanas, tenho clientes variados, incluíndo um de TI que já disse confiar em minha apuração o bastante para não se preocupar em achar erros técnicos que poderiam se tornar um problema (jabá feito, peixe vendido).

Apesar dessa confiança e dos vários meses produzindo conteúdos nessa área, ainda há dias em que a inspiração não vem e a motivação me falta.

E é principalmente nesses dias que percebo que parar de enrolar e começar a escrever é o que me faz finalizar e entregar o trabalho até antes do prazo.

Quer saber o que acontece com o que escrevo quando a sensação é de que não estou preparada para criar nada que preste?

Bom, quase sempre as palavras que colocam a engrenagem da escrita para funcionar são descartadas e substituídas por outras melhores, já amparadas pela dupla inspiração / motivação e problema resolvido!

Você que produz conteúdo, já identificou algo parecido em sua rotina? E você que não produz e acha que esse universo não é para você, quer me contratar para escrever?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s