Home office não é trabalho de casa, é trabalho em casa

Quando eu digo que sou home office, muita gente não consegue imaginar a minha rotina. E há, inclusive, quem queira entrar nessa, mas não sabe como separar o trabalho de casa do trabalho em casa

“Acho tão difícil concentrar trabalhando em casa. Fico distraída com tudo”.

Há algum tempo, postei no meu Instagram algumas ponderações sobre a vida de home office. Nada muito planejado, diferente deste post aqui e dos novos stories que acabei fazendo por lá.

A fala destacada acima é um comentário que recebi de uma amiga expondo uma dificuldade que eu sei que faz parte da vida de muita gente que decide ou precisa trabalhar em casa. Por isso, resolvi escrever e compartilhar algumas dicas.

Trabalho de casa x trabalho em casa

Para o nosso entendimento, estou diferenciando trabalho de casa e trabalho em casa. Sei que o home office causa muita dúvida e apresenta dificuldades justamente pela dificuldade de separar essas duas realidades.

Trabalho de casa é tudo aquilo que você eventualmente faz para cuidar da casa. Além de organizar e limpar, podemos até incluir cozinhar, fazer listas de compras, fazer ligações para resolver questões não atreladas ao trabalho. Ou seja, tudo aquilo o que exige um esforço seu e que, apesar de importante, desvia seu foco e mina a sua concentração.

Trabalho em casa é, portanto, aquilo o que você faz em troca de um salário ou de um montante variável de dinheiro — caso você seja freelancer e sem remuneração fixa, como eu.

O desafio nessa separação

Para conciliar as duas coisas, é preciso disciplina e a criação de um ambiente favorável para que você e as pessoas do seu convívio saibam separar e respeitar o seu tempo.

Uma reclamação frequente de quem é home office é a dificuldade que os outros têm em entender que trabalho em casa é trabalho de verdade e que a flexibilidade que essa modalidade apresenta tem limites.

Pois, advinha? Se você descobrir o que tem que fazer para ter sucesso trabalhando em casa, já vai ajudar bastante a mostrar a quem quer que seja, sem precisar dizer muito, que não está de brincadeira.

home office
Photo by Djurdjica Boskovic on Unsplash

Um home office mais “office” do que “home”

Além da dificuldade em separar trabalho em casa de trabalho de casa, quem é home office tem outro desafio. O de diferenciar o trabalho em casa do estar em casa e poder fazer o que quiser. Aquilo de jogar tudo pro alto e ligar a Netflix e depois se desesperar com os prazos.

Em outras palavras, a gente não se distraí apenas com obrigações do trabalho de casa. A gente também é tentado pelo sofá, pela possibilidade de ficar mais tempo no celular sem ninguém para chamar nossa atenção ou pelo jogo na TV. Inclusive, quem acompanha meus stories sabe que eu frequentemente paro no meio do dia para ver alguma partida e, com o post, você vai entender porque isso não me atrapalha!

A ideia passa por criar um home office que se pareça mais com um escritório ou com um ambiente de trabalho formal, do que com uma casa. E isso não quer dizer obrigatoriamente equipar um espaço isolado das demais áreas de sua residência para tentar reproduzir outra realidade.

Mais do que se preocupar com o ambiente físico, você tem que se planejar para estabelecer uma rotina. Ainda que flexível — a minha me permite ir à academia no meio da manhã, marcar compromissos dia de semana e até momentos de folga — sua rotina tem que ter algumas regras que transmitam a você mesmo e aos outros a seriedade necessária para encarar o home office.

Há quem, mesmo de casa, trabalhe seguindo o horário comercial e administre por conta própria o seu banco de horas, repondo o tempo gasto com outras atividades. Eu mesma me dou uma hora de almoço. E quando decido assistir a algum jogo, me planejo para trabalhar mais no dia anterior ou compenso isso após a partida. Uma espécie de hora extra que não me deixa perder o controle e nem os prazos.

E sim, ter um ambiente físico mais adequado ao trabalho em casa também ajuda. É importante entender, porém, que só montar um escritório bacana não é o bastante. Diferente disso, o mindset que estabelece o compromisso da gente com a gente mesmo e com o trabalho é que pesa mais. Não fosse isso e eu não conseguiria viajar carregando minhas ferramentas de trabalho (um computador com acesso à internet e alguns papéis) para onde eu queira.

Dicas para manter o foco e a concentração

Eu trabalho como home office desde 2008. São dez anos divididos em: trabalho em casa + externas em estádios e ginásios esportivos quando atuava como jornalista; trabalho em casa, com horário fixo e CLT + reuniões semanais presenciais quando atuava com assessoria digital junto a uma agência; e trabalho em casa + vida de freelancer que cria o cenário mais flexível que já vivi.

Ao longo desse tempo e com essas experiências, eu já venci e falhei no desafio de me concentrar no trabalho inúmeras vezes. Felizmente, fui mais bem-sucedida do que fracassada. Do contrário, já teria desistido da modalidade e nem me daria crédito o bastante para compartilhar minhas dicas com você. Então, vamos lá:

# Crie um sistema de recompensa: a liberdade que o home office tem de poder gerenciar seu tempo de outra forma não pode ser perdida simplesmente porque você não conseguiu se concentrar no trabalho.

Ainda que você não seja freela e tenha que seguir horários, pode ter que encurtar os próprios intervalos (almoço, café) por falta de foco. O que, consequentemente, reduz algumas das vantagens de trabalhar em casa.

Por isso, mantenha em mente outras coisas legais ou importantes que você quer ou precisa fazer. Vale para os jogos, por exemplo, ou para os trabalhos de casa. E lembre-se de que você estará livre para isso se mantiver sua concentração.

# Tenha um bom planejamento: No início da minha vida de freelancer, começava na segunda um trabalho que precisava entregar na quarta. Isso me fazia ter de planejar bem o uso do meu tempo para atender às demandas que surgiam.

Com o tempo, me tornei mais ágil na produção dos conteúdos e passei a planejar meu tempo visando aumentar o volume de trabalho e a renda.

Em todo caso, saber exatamente o que eu tenho a ser feito e em qual prazo é o que me permite encarar com seriedade o tempo que tenho. Algo que me coloca no clima para o trabalho em casa, além de permitir que eu consiga criar espaços livres na minha agenda.

Vale considerar que esse planejamento faz com que a gente saiba quando vai poder se dedicar a outras atividades. E isso reduz nossa ansiedade e impulso de abandonar no trabalho em casa para ir fazer qualquer coisinha rapidinho ali.

agenda.jpg

# Aposte no mais “office” e menos “home“: Eu já trabalhei de pijama e sentada na minha cama. Já trabalhei do sofá e com a TV ligada ao fundo. Se você lida bem com essa situação, o que é possível, não há problema.

Porém, não sair do quarto ou de um espaço que também uso para lazer faz com que seja mais difícil para mim ligar o modo trabalho em casa e me desligar da vontade de fazer qualquer outra coisa que eu quiser. Por isso, aposto na ideia de montar meu “escritório” em outro ambiente mais afastado das tentações.

Além disso, escolho algo confortável para usar, as chamadas “roupas de ficar em casa” mesmo, mas tiro o pijama para me livrar de qualquer elemento que me mantenha presa à ideia de sono ou folga.

# Encontre fontes de ajuda alternativas 

61% dos funcionários escutam música no trabalho para se sentirem mais felizes e produtivos;
88% deles realizam um trabalho mais preciso quando estão ouvindo música;
77% de donos de pequenos e médios negócios acreditam que a música levanta o astral da equipe

Esses são dados de uma pesquisa realizada pela agência WebpageFX com o objetivo de investigar os impactos da música na produtividade. As informações direcionam para um ambiente de trabalho formal, mas não deixam de ser verdade para o home office.

Isso, claro, desde que música seja mesmo algo positivo para você no trabalho em casa. Há quem prefira encontrar outras fontes de ajuda alternativa ou que, como eu, precise desligar a música quando a concentração já apareceu e o nível de exigência do trabalho aumentou.

Em outras situações, sobretudo quando estou muito distraída e com dificuldades para focar na produção de cada conteúdo, aposto em uma meditação que encontrei no app Insight Timer. Se chama “increase focus, clarity and positivity” ou “aumente o foco, clareza e positividade”.

É possível ouvir essa meditação enquanto se trabalha e é isso o que eu faço. Funcionou bem na primeira vez e, desde então, é só colocá-la que logo mudo o mindset e começo a digitar freneticamente.

# Leve em conta as suas contas a pagar: Talvez essa dica só funcione bem para quem não tem remuneração fixa, como é o meu caso. A questão é que se eu não der um jeito de me concentrar e entregar cada job no prazo certo, posso perder clientes e perder minhas fontes de renda.

Então, às vezes olho para a minha agenda e confiro a soma de cada dia ou semana. Por vezes, a motivação vem do fato de que eu preciso adiantar umas entregas para ter tempo de pegar mais demandas e fechar o mês. Ou seja, se não me focar no trabalho em casa, o bicho pega.

Qual dessas dicas você gostou mais? Tem alguma outra que queira compartilhar?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s